Fukujinzuke com Beterraba

cursos logotipo transparente kayoko takeda - Fukujinzuke com Beterraba
Kayoko Takeda Fukujinzuke

Sempre tive certo receio em relação à beterraba. Nunca gostei de incluir beterraba em salada de maionese ou numa salada de legumes cozidos por causa da sua cor dominante. 

Com as minhas idas ao Canadá percebi que eles não tem essas beterrabas enormes e lindas como as do Brasil em abundância. Comecei a valorizar muito mais porque elas são tão ricas em propriedades benéficas para nossa saúde! 

Faço-a fermentada fica uma delícia. E o vinagre de  beterraba fica ótimo, sem o sabor terroso. 

Desta vez tentei fazer o fukujinzuke incluindo a beterraba. Ficou excelente. Superou as minhas expectativas. Além da cor linda que ficou! 

No vídeo do fukujinzuke eu usei para o tempero: saquê, saquê licoroso mirim , açúcar, shoyu e vinagre de arroz. 

Não que eu não tivesse gostado do sabor mas pensei que pudesse melhorar ainda mais usando um saquê licoroso mirim que eu mesma faço. O mirim que eu faço, eu o  deixo alcoólico, doce e um pouco ácido também. Quando fazemos o próprio saquê culinário fica muito barato daí posso usar mais sem dó. Hahaha…

Daí eu diminuí a quantidade de açúcar, exclui o vinagre e coloquei maior quantidade de mirim caseiro. Ficou muito delicioso. 

Estou na fase de gravação de um Workshop de  diferentes tipos de vinagres e está incluso o vinagre de arroz e o saquê licoroso mirim e ensino duas outras maneiras de se fazer um vinagre de qualquer fruta, legumes e grãos. Estas duas maneiras são: fazer com menor tempo de fermentação e manutenção do sabor do vegetal utilizado e o outro processo é um vinagre mais forte em termos de concentração da fruta e acidez mais forte. 

Será um workshop com muitas informações técnicas; problemas que podem ocorrer durante o processo e como resolver. Perguntas mais frequentes e respostas. Vídeos com tutoriais e ainda um diário do vinagre com dicas importantes. 

Aguardem!

Deixe um comentário

Leia outros artigos